Estádio do Bessa vai ter relvado sintético

23 10 2009

Estádio do BessaCerca de 6 anos depois da inauguração dos estádios do UEFA Euro 2004,  começam as primeiras remodelações. Será isto uma necessidade económica ou tecnológica?

Numa altura em que se começa realmente a ter a noção da capacidade que cada um dos 10 estádios do Euro tem para gerar receitas, que pelo menos possam cubrir os seus custos operacionais, muitas são as ideias que começam a surgir. Entre as mais “originais” a implusão em Aveiro do novo Estádio Municipal. Não sou contra, muito pelo contrário. Apenas não concordo com o “timming”. Bastava terem equacionado esta hipotese aquando do planeamente e desenho do projecto e talvez pudesse ter havido uma solução que permitisse Aveiro ter recebido o Euro 2004 com um estádio de 30000 lugares e hoje ter um estádio moderno com cerca de 10000 lugares. Leiria fez uma opção parcialmente correcta neste aspecto.

Mas a verdade é que Portugal passou 10 anos à frente em termo de desenvolvimento dos seus estádios. Se existiam 3 clubes que necessitavam de estádios grandes e modernos, capazes de receber provas europeias, a verdade é que outros clubes necessitavam apenas de estádios modernos e dimensionados à dimensão das cidades onde estão localizados. A não-existência de projectos desportivos capazes de gerar paixão nos adeptos, aliado à sobredimensionamento dos estádio cria um ciclo vicioso, que em alguns casos pode levar a situações como a do Boavista.

É verdade que não só as dificuldades financeiras provocadas pelos custos do Estádio estiveram na origem da derrocada do Boavista até aos escalões amadores, mas que ajudou muito ajudou.

Mas a verdade é que também começam a ser necessárias soluções tecnológicas que permitam um uso mais exaustivo das instalações. E nisso os últimos 6 anos têm trazido muitas novidades sobretudo em matéria de superficies de jogo.

Até as instituições mais conservadores do futebol, como a FIFA e UEFA, já reconheceram os beneficios dos relvados sintéticos de última geração. Como diz Luís Botas, responsável pela empresa que irá colocar o relvado no Estádio do Bessa, “o custo de manutenção de um relvado natural por um mês dá para manter um relvado sintético por um ano, aproximadamente”.

Agora resta saber se outros clubes e instituições públicas terão coragem de escolher esta via, sobretudo aqueles que mais dificuldades têm tido em manter os estádios abertos com as condições apresentadas durante o Euro 2004. Pois, porque eu não tenho dúvidas que nenhum estádio fechará. O que começará a acontecer é esses estádios começarem a ficar degradados ao ponto de começarem em certos casos impedir o normal funcionamento dos mesmos.

Nos próximos anos vamos perceber se esta parceria entre as empresa Italgreen e Global Stadium e o Boavista FC, durante os próximos 6 anos, permitirá conhecer novas soluções para os estádios do Euro 2004 ou se é necessário ir mais longe.





Estádio da Semana: Estádio do Bessa Século XXI

19 08 2009

Estadio do Bessa 0O Estádio do Bessa Século XXI é o estádio oficial do Boavista Futebol Clube, situado na cidade do Porto, em Portugal.

Originalmente inaugurado em 1972, o Estádio do Bessa foi reconstruído no início do século XXI, tendo sido palco de três partidas do Euro 2004. O Estádio do Bessa Séc. XXI está situado junto à Avenida da Boavista, no centro da cidade do Porto, com óptimas acessibilidades e parques de estacionamento interiores e exteriores.

Tudo no Bessa foi planeado e projectado ao pormenor e a pensar em eventuais rentabilidades futuras. Daí que o novo estádio seja equipado com um novo sistema que permite a organização de outros espectáculos que não de futebol.

Estadio do BessaPor esta razão, a bancada sul foi pensada estrategicamente para receber um palco de dimensões que permitam a realização de um concerto de música. Nestas situações o relvado não correrá riscos com a presença em massa do público pois haverá um segundo piso elevado ao relvado que permite, pelas suas características, ventilar e iluminar o tapete enquanto decorrem os espectáculos, sem o danificar.

O Estádio do Bessa tem ao seu dispor infra-estruturas modernas e de elevada qualidade para a realização de eventos desportivos, comerciais, empresariais, culturais ou particulares e que permitem a realização de colóquios, conferências, acções de Estadio do Bessa 2formação, reuniões, exposições, workshops, exposições, seminários, ou apenas um almoço ou jantar de negócios, o que vai transformar o Estádio no seu Centro de Negócios, ou mesmo a sua Sala de Visitas!

O Estádio do Bessa XXI de 30.000 lugares, acolheu 3 jogos do Euro2004. Está implantado numa zona urbana de referência da cidade do Porto e integra-se num complexo desportivo em desenvolvimento. Com uma área total de 100.000 metros quadrados, a estrutura do recinto é organizada em quatro bancadas, unidas por quatro torres localizadas nos seus extremos, que albergam os principais acessos verticais ao estádio e infra-estruturas de suporte.

Estes “torreões” e os corredores largos e funcionais das bancadas permitem Bessa 3esvaziar os 30.000 lugares do Bessa em apenas sete minutos, uma situação que muito agradou a comissão de acompanhamento das obras para o Europeu de 2004.

Os materiais de revestimento exterior são predominantemente o betão aparente, tijolo maciço, alumínio e aço, indo ao encontro da zona que envolve o estádio.

O estádio possui, também, parques de estacionamento sob as bancadas norte e poente, com espaço suficiente para albergarem os carros de exteriores das equipas de televisão, autocarros de equipas adversárias e convidados.

EEstadio do Bessa 4m todo estádio está implementado um sistema de iluminação da Siemens, idêntico do “Stade de France”, com 1400 lux de potência, permitindo um índice de iluminação muito superior ao normal.

Quanto ao som, é utilizado um sistema ultramoderno da Philips, com uma óptima propagação de som por todo o recinto.

É também de realçar no Estádio do Bessa os dois painéis digitais de grande dimensão e excelente resolução, colocados nas bancadas poente e nascente.

O sistema de vigilância corresponde às expectativas em termos de modernidade e eficácia. As cerca de 30 câmaras, com visão de 360 graus e sofisticados “zooms”, possibilitam o controlo de qualquer incidente e a detecção do foco perturbador do bom funcionamento.

Estadio do Bessa 5Para finalizar, o sistema de emissão de bilhetes em tempo real, pioneiro em Portugal, possibilita o não estrangulamento no percurso para as bancadas. O sistema de leitura óptica dos torniquetes, ideia copiada da Holanda e aperfeiçoada pelo clube, é o mais evoluído e controla a entrada dos adeptos no estádio, sendo, por exemplo, vedado o acesso às bancadas a um sócio que não tenha as quotas em dia.

Texto retirado de: wikipédia.com