Estádio do Bessa vai ter relvado sintético

23 10 2009

Estádio do BessaCerca de 6 anos depois da inauguração dos estádios do UEFA Euro 2004,  começam as primeiras remodelações. Será isto uma necessidade económica ou tecnológica?

Numa altura em que se começa realmente a ter a noção da capacidade que cada um dos 10 estádios do Euro tem para gerar receitas, que pelo menos possam cubrir os seus custos operacionais, muitas são as ideias que começam a surgir. Entre as mais “originais” a implusão em Aveiro do novo Estádio Municipal. Não sou contra, muito pelo contrário. Apenas não concordo com o “timming”. Bastava terem equacionado esta hipotese aquando do planeamente e desenho do projecto e talvez pudesse ter havido uma solução que permitisse Aveiro ter recebido o Euro 2004 com um estádio de 30000 lugares e hoje ter um estádio moderno com cerca de 10000 lugares. Leiria fez uma opção parcialmente correcta neste aspecto.

Mas a verdade é que Portugal passou 10 anos à frente em termo de desenvolvimento dos seus estádios. Se existiam 3 clubes que necessitavam de estádios grandes e modernos, capazes de receber provas europeias, a verdade é que outros clubes necessitavam apenas de estádios modernos e dimensionados à dimensão das cidades onde estão localizados. A não-existência de projectos desportivos capazes de gerar paixão nos adeptos, aliado à sobredimensionamento dos estádio cria um ciclo vicioso, que em alguns casos pode levar a situações como a do Boavista.

É verdade que não só as dificuldades financeiras provocadas pelos custos do Estádio estiveram na origem da derrocada do Boavista até aos escalões amadores, mas que ajudou muito ajudou.

Mas a verdade é que também começam a ser necessárias soluções tecnológicas que permitam um uso mais exaustivo das instalações. E nisso os últimos 6 anos têm trazido muitas novidades sobretudo em matéria de superficies de jogo.

Até as instituições mais conservadores do futebol, como a FIFA e UEFA, já reconheceram os beneficios dos relvados sintéticos de última geração. Como diz Luís Botas, responsável pela empresa que irá colocar o relvado no Estádio do Bessa, “o custo de manutenção de um relvado natural por um mês dá para manter um relvado sintético por um ano, aproximadamente”.

Agora resta saber se outros clubes e instituições públicas terão coragem de escolher esta via, sobretudo aqueles que mais dificuldades têm tido em manter os estádios abertos com as condições apresentadas durante o Euro 2004. Pois, porque eu não tenho dúvidas que nenhum estádio fechará. O que começará a acontecer é esses estádios começarem a ficar degradados ao ponto de começarem em certos casos impedir o normal funcionamento dos mesmos.

Nos próximos anos vamos perceber se esta parceria entre as empresa Italgreen e Global Stadium e o Boavista FC, durante os próximos 6 anos, permitirá conhecer novas soluções para os estádios do Euro 2004 ou se é necessário ir mais longe.





Estádio da Semana: Donbass Arena

7 10 2009

Donbass Arena 0O Donbass Arena é um novo estádio em Donetsk, Ucrânia. Foi inaugurado a 29 de Agosto de 2009 e é servido por um relvado de relva natural. A instalação está localizada no centro da cidade, no parque Lenin Comsomol.

Tem capacidade para 50000 espectadores e irá receber os jogos do FC Shakhtar Donetsk e possivelmente alguns dos jogos da fase final do Europeu de 2012, que será co-organizado pela Ucrânia e Polónia. É um dos mais modernos estádios do mundo sendo considerado um estádios de Elite da UEFA.

O custo inicial estimado era de cerca de 250 milhões de dólar, sendo que 30 dos quais estavam destinados a um parque recreativo à volta do estádio. Porém o custo final do projecto cifrou-se em mais de 400 milhões de dólares.

Donbass ArenaA construção foi iniciada em 2006. A empresa responsável pela obra foi a empresa ENKA, sendo esta uma empresa de origem turca.

O Donbass Arena foi desenhado pela ArupSport, que também projectou o City of Manchester Stadium (Manchester, Inglaterra), o Allianz Arena (Munique, Alemanha) e o Beijing National Stadium (Pequim, China). Uma solução de engenharia de excepcional – o efeito do tecto a subir – fará com que o estádio se assemelhe a um disco voador. A forma oval e  a fachada envidraçada garantirão uma visão inesquecível. O estádio está localizado próximo do RSK Olimpiyskiy Regional Sports Complex criando um elegante conjunto arquitectónico. A iluminação externa fará com que o Estádio brilhe como um diamante na noite.

Donbass Arena 1O Donbass Arena foi inaugurado a 29 de Agosto de 2009, embora com a velocidade de construção e cronograma poderia ter sido feito mais cedo. 29 de Agosto é o dia dos mineiros na Ucrânia e o dia cidade de Donetsk. Também o nome do clube local, Shakhtar Donetsk, traduzida para Inglês é “Donetsk Coal Miners”, logo esta data foi escolhida pelo seu simbolismo.





Estádio da Semana: La Bombonera

30 09 2009

La BomboneraO La Bombonera (oficialmente Estadio Alberto J. Armando) é o estádio do Club Atlético Boca Juniors. A sua capacidade total é de 49000 espectadores aproximadamente, e o campo segue as medidas mínimas permitidas pela FIFA (105m x 68m). O seu apelido deve-se à sua forma retangular como a de uma caixa de bombons. A principal razão para isso é o reduzido espaço que fora destinado à sua construção, iniciada em 1923. A solução encontrada pelo arquiteto José Luiz Delpini – que lhe granjeou vários prêmios – foi a de criar três anéis de arquibancadas, de modo que qLa Bombonera 2uem assiste o jogo da terceira arquibancada tem de olhar para baixo se quiser assistir o jogo com clareza.

Em 1923, iniciou-se sua construção. Anos depois (em 1940), o então presidente do Boca, Camilo Cichero, concluiu as obras e baptizou o estádio com seu nome. Foi inaugurado com vitória dos donos da casa por 2×1 num amigável contra o San Lorenzo. Em 1952, foi instalada a iluminação para jogos nocturnos. Devido à terrível crise institucional e financeira que assolou o clube em 1984, o estádio foi penhorado. Em 1996, foram construídos camarotes VIPs pelo presidente Mauricio Macri e, em 2001, o estádio foi rebaptizado com o nome de Alberto J. Armando, homenagem a outro megaempresário e político, que fora presidente da instituição nos anos 70. La Bombonera 3O seu exterior foi pintado recentemente com afrescos do reconhecido pintor Pérez Celis, que retratou a paixão dos adeptos do clube, bem como aspectos relacionados à vida quotidiana do bairro de La Boca, como o dia-a-dia dos imigrantes italianos. Foi a disposição vertical das arquibancadas, onde cabem cerca de 49000 pessoas aproximadamente, que fez com que o estádio começasse a ser chamado de “la bombonera”, numa curiosa comparação com uma caixa de bombons.